“Paraíso ou Inferno?”

Saudações rubro negras, galera! Tudo bem? Eu estava meio sumido, mas “O Bardo Rubro Negro” está de volta! E como a gente esteve ausente, farei um apanhado do que rolou nas últimas semanas…
Após o empate com o Palmeiras, a caçada ao porco persistia e logo em seguida tivemos mais um confronto com um rival da parte de cima da tabela, o São Paulo. E novamente derrapamos em nossos próprios erros numa hora imprópria. Outro empate, frustrante. Porém, o pior ainda estaria por vir, pois no clássico contra o Botafogo, fomos derrotados e nos afastamos ainda mais do líder e conseqüentemente, das chances de título. Nem parecíamos que estávamos brigando por uma oportunidade de sermos campeões, um time sem vontade era a nossa imagem, uma vez mais.
Só que no Flamengo, quanto pior parecem as coisas, melhor pode ser. E num milagre, os resultados positivos começaram a voltar. Primeiro, a vitória contra o Santos no dia de nosso aniversário, com direito a defesa de pênalti de César, em cobrança de Gabigol, artilheiro da competição. O AMOR começava a retornar… Depois, numa demonstração de RAÇA, jogando com menos um, após expulsão de Paquetá, derrotamos o Sport. E por fim, de uma maneira segura, numa boa atuação, apesar de não ser de gala, vencemos o Grêmio numa explosão de PAIXÃO, de nossa torcida.
Por essas e outras razões, somo FLAMENGO. Faltam dois jogos. Contra o Cruzeiro, fora, um adversário que sabemos que é complicado e o Atlético PR em casa, que sabemos que seremos abraçados no calor de nossa massa, principalmente se ainda tivermos chances do hepta. A tabela mostra um caminho mais fácil para o Palmeiras? Talvez, só que eles enfrentarão adversários do Z4 querendo sobreviver. Pra quem tem São Judas Tadeu como padroeiro, nada é impossível. Lembremos de 2009. Aqui não tem purgatório, é paraíso ou inferno. E o paraíso é logo ali, basta não perdermos para nós mesmos como antes e secarmos o porco.

Rapidinhas
Dorival, se tivesse vindo antes, será que a gente já não estaria numa situação melhor? Claro, sem as invencionices e manias de resgate de perdidos, né?
Berrío voando como nunca; Vitinho teve aumento de produção, mas tem que abrir o olho; César mostrando que Diego Alves pode ser banco; Diego Ribas mostrando que pode ficar e ser útil; Uribe mostrando que se a bola chegar redonda pode fazer gols; Dourado também, mas hoje seria um bom banco; aliás, o banco fez muito bem ao Arão, que agora parece aquele de outros tempos; Léo Duarte se firmou.
Pará e Rodinei, eternos problemas; Paquetá já está em Milão, Geuvânio e Rômulo, NÃO; Trauco fica ou vai? Réver já está ficando pra trás, hora de renovar.
Éverton Ribeiro, Renê, Cuéllar estão na média. Uns estão em observação, por atuarem em alguns jogos, somente.
E volto a dizer: OLHA A BASE, Diretoria. Tem gente pedindo passagem. Abraços e até semana que vem, pessoal!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *