Rubro, paixão negra

A gente sempre fala: nunca mais, cansei, não verei, mas sempre voltamos. Sempre estamos contigo, Mengão. O mês de agosto foi de um tremendo desgosto para a nação. A receita da decepção é gerar grandes expectativas. E foi isso. Várias frustrações e queda na tabela.

Ontem, de novo, insisti na minha teimosia em não aceitar que o Flamengo não cumpra seu destino, entoado no hino do clube. Vencer, vencer, vencer. E o time faz justamente o contrário.

Se ao menos víssemos a equipe mostrar foco, concentração… Mas, não. Tomamos novamente gols bobos, gerados por falhas na defesa. Assistimos o sempre mesmo novamente.

Rubro foi a festa no Beira Rio, com a liderança. Rubro é a nossa cara de vergonha.

Negra é a fase que estamos passando. É a nuvem que paira na Gávea.

Só que essa paixão que arde em mim ainda me dá esperanças. Porque isso é Flamengo.

 

Mais do mesmo

E nesse clima de repetição não poderia faltar Rômulo. Aliás, ele estava em Porto Alegre? Não poderia faltar o Arão. Bom, até que não fez uma partida ruim. Peraí… Onde tava o Arão que não marcou o Rodrigo Dourado? Não podia faltar Pará. Se bem que faltam laterais, né?  Matheus Sávio também não faltou. Uribe faltou ter intimidade com a bola. Vitinho, não faltou com o gol, aleluia. Mas, faltou estar presente na partida e parar de retardar ataques. E Marlos, meu Deus???? Vai faltar com o gol até o Cometa Halley Passar, vai????

 

Em tempo

Dizem que o Vinícius Jr pode voltar ano que vem. Não tem como ele vir agora? Porque desde que foi embora, o Fla perdeu o poder de furar as defesas como fazia antes da Copa.

Ah, Barbieri já ta quase sem mais tempo…